Você está pronto para envelhecer?

A terceira idade deve ser uma preparação da vida inteira

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida ao nascer, em 2019, é de 80 anos para mulheres e de 73 anos para homens. Uma boa notícia. Contudo, apesar da expectativa de vida vir aumentando no Brasil nos últimos anos, uma coisa é certa, é necessário estar preparado para essa fase que chega em um piscar de olhos.  

Agora pense, se você entrasse na terceira idade hoje, teria uma velhice saudável? Há inúmeros fatores que precisam estar em ordem para responder “sim” à essa pergunta.

A médica geriatra Dra. Maisa Kairalla explicou no blog “Chegue Bem” alguns requisitos para ter um bom envelhecimento. Ela conta que os nossos hábitos ao longo dos anos são responsáveis por 70% do que vamos colher em nossa velhice, seja de forma positiva ou negativa. O restante, os 30%, são fatores genéticos. 

Se grande parte do futuro depende dos hábitos de toda a vida, o ideal é que a gente comece a ter essa consciência ainda na infância. Ensinar as crianças sobre o ciclo da vida e a importância de pensar no futuro já desperta um olhar muito mais analítico sobre o processo de envelhecimento. 

Porém, biologicamente falando, o ser humano começa a envelhecer de fato a partir dos 28 anos, isso significa que pele, cabelos, órgãos e tecidos não são mais os mesmos e caminham para a fase mais experiente da vida. Neste caso, se você já passou da casa dos 20, seu processo já foi iniciado.

O futuro é agora

A palavra que casa muito bem com o envelhecimento é o planejamento. Muitas pessoas costumam viver o dia de hoje como se fosse o último e quando percebem já estão idosos sem uma situação financeira confortável, perdendo a autonomia e sem perspectivas de melhora de vida. O planejamento te deixa preparado para qualquer circunstância que você venha passar.

Uma das coisas mais importantes é a saúde, nem sempre é possível chegar à certas idades com uma saúde de ferro, mas é possível criar condições para ter um bom convênio. Ou melhor, ter uma boa alimentação, fazer exercícios, cuidar da saúde mental já previne muitas doenças indesejáveis.

Outro problema que acomete o ser humano, principalmente na velhice, é a solidão, muitas vezes ocasionada pelo abandono. Neste caso, manter o contato com as pessoas desde sempre, seja na vizinhança, nos círculos de amizade, até mesmo em projetos sociais, ajuda a combater a solidão e ajuda até mesmo outras pessoas a também lidarem com ela. 

É uma fase também que requer conforto, para isso, uma aposentadoria bem planejada tem seu espaço. É ao longo da juventude que se constrói condições de viver tranquilamente. Invista desde cedo em uma boa previdência que satisfaça suas necessidades futuras, moradia, lazer, saúde, transporte e tudo que um ser humano precisa para ter qualidade de vida. 

A mente também precisa continuar ativa, mantenha o hábito de exercitar o cérebro, estude, leia, converse, viaje, esteja sempre aberto para o novo. São práticas simples que preservam a cabeça saudável.

Por fim, a Dra. Maisa considera que está na hora também de cuidar da população idosa atual. “Romper estigmas para que o indivíduo mais velho seja valorizado e visto fora do espectro do “aposentado” ou do “inválido”. Lutar para que o termo “idoso” não mais seja encarado com um cunho pejorativo, mas, sim, como uma atribuição de um cidadão ativo, respeitado e produtivo, física e intelectualmente – ainda que venha a ter certas limitações”, avalia.

Tags: qualidadedevida saúde

Veja mais