Trocas saudáveis na alimentação te ajudam a cuidar da saúde e do bolso

Médico Paulo Gusmão, nutrólogo e autor do livro “Saúde: O Maior dos Prazeres” dá algumas dicas

Qualidade e preço costumam ter relação direta: quanto melhor, mais caro. No caso dos alimentos, porém, essa máxima nem sempre é verdadeira. O médico Paulo Gusmão, nutrólogo e autor do livro “Saúde: O Maior dos Prazeres” (All Print Editora), lembra que a maioria dos alimentos saudáveis, como frutas, vegetais, legumes e grãos, são baratos. Ovos e frango, que são boas fontes de proteínas, também têm preços acessíveis. “Carnes bovinas nobres e peixes de primeira linha encarecem um pouco mais a compra, mas existem várias opções intermediárias acessíveis”, destaca.

Gusmão aconselha a colocar no prato o que vem da natureza e a ficar longe do que vem da indústria, o que já garante uma boa economia. Salgadinhos quimicamente corados e aromatizados, batatas fritas, biscoitos recheados, doces industrializados e embutidos, como salsichas e patês, estão na lista negra do médico.

É verdade que alguns alimentos de qualidade, como os vegetais orgânicos, por exemplo, que são cultivados sem agrotóxicos, têm um custo de produção maior e costumam ser mais caros quando comparados aos cultivados com as técnicas convencionais. “Mas a opção pelo alimento saudável não deve ser vista como um gasto e sim como um investimento”, diz Gusmão. “Qualquer troca de fritura, açúcar refinado ou fast food por alimento de qualidade é econômica, mesmo que seja mais cara. Ser saudável poupa dinheiro, pois aumenta a produtividade e reduz o tempo parado por doenças”, argumenta. Em longo prazo, saúde é economia!

Outras orientações
Mas algumas mudanças de atitudes também ajudam a economizar de imediato.  É o que garante a nutricionista Rita de Cássia Leite Novais, especialista em nutrição clínica pela Universidade de São Paulo. Nas refeições feitas em casa, que tal trocar o refrigerante pelo suco de frutas e os bolos industrializados por aquela velha receita da avó? Além de mais barato e saudável, você ainda ganha em sabor.  Veja outras sugestões da nutricionista:

Chocolate por barrinha de cereais
Uma barra de chocolate ao leite, além do alto teor calórico, contém grande quantidade de gorduras. Prefira a barra de cereais sem chocolate, que é fonte de fibras e favorece o trânsito intestinal.
1 barra de chocolate = R$ 4,80
1 barrinha de cereais = R$ 2,50
Economia R$ 2,30

Biscoito recheado por biscoito integral
Os biscoitos recheados contêm grande quantidade de carboidratos e gordura, enquanto os integrais têm mais fibras.
1 pacote de biscoito recheado = R$ 2,20
1 pacotinho de biscoito integral= R$ 1,00
Economia: R$ 1,20

Salgadinho de pacote por castanha-do-pará
O salgadinho de pacote possui alto teor de gordura e sódio, fuja dele! Melhor é a castanha-do-Pará, fonte de minerais e vitaminas que fazem um bem danado ao organismo.
1 salgadinho de pacote = R$ 3
100g de castanha-do-pará (aproximadamente sete castanhas) = R$ 4,39
2 castanhas do pará = R$ 1,25
Economia: R$ 1,75

Lanche de fast food por lanche natural
O lanche de fast food, além do alto valor calórico, é rico em gordura e sódio. Troque pelo lanche natural, que possui fibras, carboidratos complexos e, geralmente, proteína magra.
Lanche de fast food = R$ 25
Lanche natural  = R$ 18
Economia: R$ 7

Tags: alimentação dieta qualidade de vida saúde

Veja mais