Negociação de criptomoedas entenda a bolsa de valores de bitcoins

Entenda como a bolsa de valores de bitcoins já está impactando as transações de criptomoedas

A transação de criptomoedas vem crescendo consideravelmente ao longo dos últimos anos. A partir de um processo de melhor compreensão sobre os mecanismos de aquisição e venda associados a esses ativos, investidores de todos os portes perderam o receio de aportar grande capital em bitcoins e em outras moedas virtuais.

E não é para menos! Quem se adiantou na compra das criptomoedas não tem do que reclamar. Em janeiro de 2017, por exemplo, uma unidade de bitcoin era comercializada a U$ 985,56. Em 30 de abril deste ano, esse valor chegou a U$ 9.486,43.

Ao mesmo tempo, há de se destacar a grande variação desses ativos. Entre dezembro de 2017 e maio de 2018, o bitcoin oscilou em quase 20% — volatilidade que assusta até mesmo investidores experimentados em ativos de renda variável, como ações na bolsa de valores.

Como acontece a transação de criptomoedas?

Antes de passarmos a análise de como funcionará a nova plataforma de comercialização de bitcoins, precisamos entender qual é o atual cenário da transação de criptomoedas. E, como muitos devem saber, há duas formas de se adquirir um bitcoin.

A primeira delas se dá por meio da chamada “mineração”. Esse processo, hoje realizado quase que exclusivamente por empresas especializadas, teoricamente pode ser feito por qualquer um e se refere à transição de uma moeda de uma carteira para outra dentro do sistema bitcoin.

Mas como isso acontece na prática?

Toda e qualquer transação com bitcoins precisa ser processada. Para a efetivação das operações, faz-se necessário processar um grande volume de dados para conferir um código à transação.

O indivíduo ou a empresa responsável por processar esses dados e extrair o referido código para o sistema é remunerado com uma fração dos valores em bitcoins “movimentados” de uma carteira para outra constituindo, assim, o processo de mineração.

A segunda e mais convencional forma de comprar ou vender bitcoins se dá por intermédio de corretoras. Essas empresas monetizam as criptomoedas transformando-as em dinheiro real, que é dirigido a quem está envolvido na relação de compra e venda. Tal qual os mineradores, as corretoras recebem um percentual sobre a transação.

Como acontecerá a operação da bolsa de moedas virtuais?

Dada a popularização dos investimentos em criptomoedas, as corretoras as quais nos referimos no tópico anterior, não têm conseguido lidar com o grande volume de transações que acontecem atualmente. Frente a esse cenário, a empresa Wuzu – Soluções Financeiras desenvolveu uma plataforma para transação de criptomoedas, ao molde de uma bolsa de valores.

Esse formato diminuiria consideravelmente a ação das corretoras, ao levar os investidores a comercializarem diretamente entre si, sob a promessa de oferecer maior segurança nas trocas. Isso porque as moedas não comercializadas seriam mantidas off-line, o que eliminaria o risco de roubo em meio à tecnologia de nuvem.

Ademais, a Wuzu ainda promete uma parceria com um grande banco que ficaria responsável por oferecer contas-correntes exclusivas para os usuários da plataforma comercializarem as criptomoedas. A ação dessa instituição financeira também aconteceria no segmento de seguros, ao ofertar cobertura aos bitcoins e às demais moedas virtuais comercializadas.

Quais os riscos e benefícios desse tipo de investimento?

Como já mencionado no início, os lucros auferidos por quem investiu em bitcoins ao longo dos últimos períodos foi bem positivo. Isso não significa que a mesma relação se repetirá pelos próximos meses.

O bitcoin e outras criptomoedas sofrem grandes variações em suas cotações, o que representa um risco e tanto para os investidores. Ademais, o fato de não se tratar de um investimento regulado por nenhuma autoridade monetária, como um Banco Central, por exemplo, confere grande insegurança a quem detém esse tipo de ativo.

Como você pôde conferir, a negociação de criptomoedas via “bolsa de valores” ainda merece ser mais bem observada, uma vez que a plataforma a qual nos referimos acabou de entrar em operação. Desse modo, convém esperar um pouco antes de aderir a essa inovação.

 

Tags: bitcoins bolsadevalores criptomoedas transações