Idosos são empreendedores que mais faturam e empregam

Empreendedorismo na terceira idade

Abrir um negócio pode ser uma boa opção para quem é aposentado ou está perto de aposentar-se. E pelo que parece, esse grupo anda aproveitando a oportunidade, é o que diz o estudo do Sebrae, a partir da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor. A quantidade de donos de negócio com 65 anos ou mais representa 7% do total no Brasil, ou seja, cerca de 2,2 milhões de empreendedores nessa fase da vida.

O perfil do empreendedor com mais de 65 anos é bem definido: tem o negócio há pelo menos dois anos e geralmente esse empreendimento é em estabelecimento fixo (loja, escritório ou galpão), na área rural (fazenda, sítio ou granja) ou no domicílio.

Esse perfil tem apresentado sucesso no rumo dos negócios, eles ganham mais do que os colegas em geral. Segundo a pesquisa, 14% deles faturam cinco salários mínimos ou mais mensalmente. 

Eles também têm desenvolvido um papel importante: geração de empregos. É a faixa etária que mais emprega, 18% do total de empregos gerados. 

Objetivos e obstáculos

Em uma fase mais madura da vida, o objetivo de criar uma carreira ou ter uma grande ascensão financeira já não são mais prioritários. Este grupo de pessoas está mais interessado em ter uma renda adicional ou fazer algo que realmente goste para aproveitar o tempo.

Em contrapartida, estes empreendedores ainda enfrentam muitos desafios, um deles é o mundo digital, com processos cada vez mais informatizados, eles muitas vezes não têm o conhecimento necessário para lidar com essas tecnologias. 

Outro ponto que envolve conhecimento também é o nível de escolaridade, geralmente baixo, o que pode ser uma pedra no caminho do crescimento do empreendimento. A pesquisa revelou que os microempreendedores individuais com 65 anos ou mais têm histórico de empregos informais, isso quer dizer que a profissionalização foi mais recente.

Faça parte das estatísticas

Se você ficou interessado em ingressar no mercado do empreendedorismo, confira algumas dicas:

  • Faça o que realmente gosta: passamos a vida inteira ouvindo isso e muitas vezes ignoramos essa premissa ou por necessidade ou por escolher caminhos diferentes. Contudo, considere que é necessário gastar tempo e energia com coisas que tragam bem-estar. Por isso, na hora de escolher o ramo, faça uma avaliação do que te faz bem e como isso pode gerar lucros.
  • Inove: complementando o item anterior, é tempo de trazer coisas novas, pense no que você gostaria de consumir como produto ou serviço e não vê disponível.
  • Aproveite a experiência: você já arriscou diversas vezes e sabe o que pode ou não dar certo, use isso ao seu favor na hora de criar um negócio.
  • Estude: a história de que temos que estudar a vida inteira é verdade, procure sempre aprimorar seus conhecimentos, principalmente na área que irá atuar.
  • Tenha equilíbrio: o ideal é que o empreendimento não tome todo o seu tempo extra, para isso, planeje qual a quantidade de tempo você pode delegar para cada atividade e não esqueça de deixar um horário livre para descansar, aproveitar a família e ter lazer. 

Além da geração de emprego e renda, o empreendedor sênior pode ter um papel motivacional para que outras pessoas se sintam capazes de inovar, voltar para o mercado de trabalho e mudar o rumo das coisas.

Tags: empreendedorismo finanças

Veja mais