Dicas para amenizar os impactos do coronavírus no orçamento

Mesmo com as previsões pessimistas, ainda é possível se proteger

A economia tem sido uma preocupação constante durante a pandemia do novo coronavírus. Os especialistas já trazem projeções bastante pessimistas. Houve dois trimestres seguidos de queda econômica e todos já esperam uma retração na economia ainda maior em 2020. Com o isolamento social e a quarentena, milhões de brasileiros não têm condições de contar com suas fontes de sustento, contudo, nem tudo está perdido, existem algumas medidas que ajudam a superar essa crise.

Se você é investidor, por exemplo, já deve ter pensado como funcionará o mrecado daqui para frente. A maior recomendação é paciência, é a pior hora para fazer o resgate, principalmente de investimentos a longo prazo, é provável que você perca boa parte. 

Contudo, é o momento também de ser analítico. Se você tem um investimento de renda fixa, no Tesouro Direto, por exemplo, por mais que a rentabilidade seja menor, ainda é melhor deixá-lo lá, porque é uma aplicação segura, você corre um risco mínimo de levar um calote. Já nos de renda variável, analise os riscos, pode ser que você investiu em um momento bom, nesse caso, é viável rever, e quem sabe, resgatar.

Se você for realizar algum investimento por agora, a dica é diversificar a carta. Quanto maior a diversidade, maior a segurança, isso porque você não corre o risco de aplicar todo o dinheiro em um único investimento que pode ter um desempenho negativo.

Na hora da crise, um caminho é o da negociação. A situação está difícil para todos, por isso, é mais provável que o outro entenda a sua situação. Se você paga aluguel, por exemplo, converse com o locador para pagar um valor menor durante alguns meses, dentro do seu orçamento.

Outra dica é se planejar, mesmo que a pandemia tenha pego todos de surpresa, faça projeções e esteja preparado para as mudanças. Trabalhe com um cenário pessimista durante quatro meses pelo menos, porque se as coisas melhorarem antes, você tem um saldo positivo.

Conte com a reserva de emergência. Aquele dinheiro que você guardou ou investiu em aplicações mais conservadoras, na hora do aperto, acione ele. O ideal é que a reserva de emergência seja suficiente para segurar até 6 meses do seu gasto. Contudo, todo tanto já é uma ajuda. 

Não é o momento de se desesperar. Entre as previsões, está um aumento nos preços dos alimentos. Algumas pessoas já têm visto isso nos supermercados de suas cidades. Um dos fatores que influencia é o aumento do custo de produção, com a pandemia, fica mais difícil produzir, falta mão de obra tanto para a produção, quanto para o transporte e distribuição.

Outro motivo para o crescimento do preço dos alimentos é o aumento da demanda, as pessoas compram para estocar. Autoridades recomendam que as pessoas não comprem em excesso, porque isso pode gerar desperdício e faltar para os outros. É hora de consumir com consciência. Mesmo com a crise, o abastecimento ainda está normal e o Brasil ainda tem uma maior vantagem por ser um dos maiores produtores de alimentos do mundo.

Por fim, o segredo é se proteger para proteger todo o mundo. Ficar em casa faz com que tudo isso passe mais rápido. A crise será vencida com a cooperação de todos. 

Tags: corona finanças

Veja mais