Conheça algumas dicas para economizar nas compras na farmácia

Na internet, você encontra sites que permitem fazer a comparação dos valores de vários remédios

Os gastos com remédios podem ter um peso significativo no orçamento mensal, especialmente para os mais idosos ou quem sofre de doenças crônicas. Porém, adotando algumas atitudes simples, é possível economizar bastante e sem descuidar da saúde. Confira as orientações da advogada Sandra Amaro, supervisora institucional da Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

Medicamentos são produtos como quaisquer outros. Então, vale a pena pesquisar para descobrir qual é o estabelecimento que oferece o melhor preço. Na internet, você encontra sites como o Consulta Medicamentos, que permitem fazer a comparação dos valores de vários remédios, por estado.

Os medicamentos genéricos custam, em média, 56% menos do que os remédios de referência, segundo uma pesquisa recente realizada pelo Procon de São Paulo. Para utilizar esse tipo de medicação, pergunte ao seu médico se é possível fazer a troca e peça que ele receite os remédios pelo nome do princípio ativo. Informe-se no próprio balcão da farmácia sobre a existência de um genérico para substituir os medicamentos de referência prescritos.

Algumas farmácias possuem um cartão de fidelidade, oferecido aos clientes habituais. E quem apresenta o documento, na hora da compra, tem descontos tanto em medicamentos como em produtos de higiene pessoal. Assim, vale a pena perder um tempinho para fazer o cadastro e depois aproveitar esses benefícios.

Muita gente ainda não sabe, mas os próprios fabricantes oferecem descontos que variam de 12% a 60% para medicamentos de uso contínuo. Por isso, é vantagem se informar com o médico ou com o farmacêutico se o laboratório que produz o seu remédio faz parte do programa de descontos. Para contar com esse abatimento no valor final, é preciso se cadastrar diretamente no laboratório, pelo telefone de atendimento ao consumidor, que aparece na embalagem do produto, ou pela página da empresa na internet. Vale lembrar que, para conceder o benefício, a farmácia também precisa estar cadastrada.

Se você vai comprar um remédio para uso esporádico, por um curto espaço de tempo, informe-se no balcão sobre a existência de embalagens menores, com menor quantidade de cápsulas ou comprimidos. Esse cuidado já vai lhe render uma boa economia.

Atualmente, muitas farmácias vendem medicamentos básicos que têm parte de seus valores subsidiados pelo governo. São as conhecidas farmácias populares, que vendem a preços reduzidos remédios como analgésicos, anti-inflamatórios, anti-hipertensivos, alguns tipos de anticoncepcionais, ansiolíticos, antibióticos, antidepressivos, remédios para osteoporose e diabetes, entre outros. É possível encontrar farmácias populares que vendem até fraldas geriátricas para idosos, com um preço bem mais em conta.

Comprar produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes em grandes redes de farmácias também pode ser um bom negócio, especialmente se você pesquisar os kits que ficam próximos ao caixa. Os preços, em geral, são mais acessíveis que os dos supermercados, por exemplo.

Veja também o infográfico “Economia na hora de comprar remédios”.

Tags: farmácia genéricos remédios

Veja mais