Conheça a youtuber que ensina finanças para pessoas de baixa renda

Nath Finanças tem uma legião de quase 82 mil fãs só no YouTube

Quem ganha pouco e tem que se desdobrar para conseguir pagar todas as contas do mês pode ter uma certa dificuldade em cuidar das finanças. Foi pensando nisso que a estudante de administração Nathália Rodrigues (21) criou o canal no YouTube “Finanças com a Nath”, lá ela ensina educação financeira de maneira simples e acessível.

Nos vídeos, Nathália orienta os internautas a limparem seu nome e aumentarem o score do CPF, a viajarem gastando pouco, a descobrirem o que é IOF e mais uma variedade de assuntos que nem sempre é de conhecimento comum.

O objetivo da youtuber é certeiro. “Todos os meus inscritos saírem do vermelho, utilizando seu dinheiro da melhor forma possível e mantendo a saúde mental e financeira”, escreveu ela na descrição do canal. 

No Twitter, Nathália tem 255,1 mil seguidores. Além dos vídeos, ela constrói threads (sequência de tuítes) informando as pessoas das mudanças econômicas do momento. No começo de janeiro, por exemplo, a estudante abordou assuntos como a mudança no cheque especial, o aumento do número de famílias endividadas, o cadastro positivo, entre outras manchetes importantes. 

O diferencial do canal de Nathália é exatamente relacionado ao público-alvo. Em entrevista para a revista Exame, ela afirmou que os canais de investimento não são voltados para a grande parcela da população do Brasil. Ela deixa bem claro para quem ela produz conteúdo: trabalhadores que ganham 1 salário mínimo, estudantes, desempregados, estagiários. “São realidades muito diferentes. Tem gente que manda você aplicar 500 reais por mês. Só que para muitos, isso é o salário”, expôs em entrevista.

E a realidade de Nath é de acordo com este público que ela propôs ajudar, moradora de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense (RJ), estudante bolsista e estagiária. São duas horas e meia todos os dias para chegar ao trabalho. 

O aprendizado não se limita ao público externo, a estudante também aplica seus ensinamentos dentro de casa. Ela contou uma conquista recente, os pais deixaram de aplicar na poupança para investir no Tesouro Direto e no CDB.

Uma preocupação da youtuber é também com a saúde mental na vida financeira. Este é o assunto de um dos vídeos, para ela, é importante que as pessoas consumam conteúdos que estão de acordo com a sua realidade. Isso porque, as pessoas tendem a ficar frustradas quando não conseguem economizar e investir a quantidade proposta em muitos canais.

O sucesso de Nathália foi tão grande que ultrapassou as fronteiras das redes sociais, ela já foi no programa Encontro com Fátima Bernardes na rede Globo falar sobre o desafio de ser investidor da periferia

Como uma boa digital influencer, Nath constantemente faz parceria com marcas famosas. Além disso, ela se tornou referência no assunto, os vídeos e falas da youtuber viram memes com frequência. Quando alguém gasta muito e conta na internet, por exemplo, é comum outro internauta comentar o bordão “alô Nath Finanças”, fazendo menção às dicas de economia da estudante. 

Se você ficou interessado no conteúdo da Nath Finanças, pode acompanhar o trabalho dela nas redes sociais. No YouTube, ela publica vídeos semanalmente e é uma usuária assídua do Twitter e do Instagram

Nos vídeos, Nathália orienta os internautas a limparem seu nome e aumentarem o score do CPF, a viajarem gastando pouco, a descobrirem o que é IOF e mais uma variedade de assuntos que nem sempre é de conhecimento comum.

O objetivo da youtuber é certeiro. “Todos os meus inscritos saírem do vermelho, utilizando seu dinheiro da melhor forma possível e mantendo a saúde mental e financeira”, escreveu ela na descrição do canal. 

No Twitter, Nathália tem 255,1 mil seguidores. Além dos vídeos, ela constrói threads (sequência de tuítes) informando as pessoas das mudanças econômicas do momento. No começo de janeiro, por exemplo, a estudante abordou assuntos como a mudança no cheque especial, o aumento do número de famílias endividadas, o cadastro positivo, entre outras manchetes importantes. 

O diferencial do canal de Nathália é exatamente relacionado ao público-alvo. Em entrevista para a revista Exame, ela afirmou que os canais de investimento não são voltados para a grande parcela da população do Brasil. Ela deixa bem claro para quem ela produz conteúdo: trabalhadores que ganham 1 salário mínimo, estudantes, desempregados, estagiários. “São realidades muito diferentes. Tem gente que manda você aplicar 500 reais por mês. Só que para muitos, isso é o salário”, expôs em entrevista.

E a realidade de Nath é de acordo com este público que ela propôs ajudar, moradora de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense (RJ), estudante bolsista e estagiária. São duas horas e meia todos os dias para chegar ao trabalho. 

O aprendizado não se limita ao público externo, a estudante também aplica seus ensinamentos dentro de casa. Ela contou uma conquista recente, os pais deixaram de aplicar na poupança para investir no Tesouro Direto e no CDB.

Uma preocupação da youtuber é também com a saúde mental na vida financeira. Este é o assunto de um dos vídeos, para ela, é importante que as pessoas consumam conteúdos que estão de acordo com a sua realidade. Isso porque, as pessoas tendem a ficar frustradas quando não conseguem economizar e investir a quantidade proposta em muitos canais.

O sucesso de Nathália foi tão grande que ultrapassou as fronteiras das redes sociais, ela já foi no programa Encontro com Fátima Bernardes na rede Globo falar sobre o desafio de ser investidor da periferia

Como uma boa digital influencer, Nath constantemente faz parceria com marcas famosas. Além disso, ela se tornou referência no assunto, os vídeos e falas da youtuber viram memes com frequência. Quando alguém gasta muito e conta na internet, por exemplo, é comum outro internauta comentar o bordão “alô Nath Finanças”, fazendo menção às dicas de economia da estudante. 

Se você ficou interessado no conteúdo da Nath Finanças, pode acompanhar o trabalho dela nas redes sociais. No YouTube, ela publica vídeos semanalmente e é uma usuária assídua do Twitter e do Instagram

Tags: economia finanças investimentos

Veja mais