As redes sociais te ajudam a gastar mais

Como somos influenciados diariamente pelo universo virtual

Muitas vezes nem precisamos de um produto, mas entramos no Instagram e está lá: 2 tênis por 200 reais. Daí você que nem gosta tanto de tênis, pensa: “vou levar dois pelo preço de um” ou “na loja física eu nunca acharia desse preço”. E é assim que você passa a ter dois tênis que não precisava.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Centro de Inteligência Padrão (CIP) e a consultoria MindMiners, 38% dos entrevistados afirmaram que já compraram produtos por meio de posts patrocinados nas redes sociais, como o Instagram e Facebook. 

Uma estratégia utilizada com bastante frequência na Internet é a experiência de Cookies. Eles são arquivos ou informações que podem ser armazenadas nos seus dispositivos conectados à Internet, como computador, celular ou tablet quando você visita uma página. Os sites têm acesso a essas informações e podem criar conteúdos especializados baseados no que você procura, causando impacto. Além disso, podem compartilhar seus dados com outras empresas.

Estes dados revelam que as empresas estão conseguindo alcançar seus objetivos, que são impactar e conseguir novos consumidores. Contudo, para as suas finanças isso pode ser um perigo.

A grama do vizinho é sempre mais verde

Agora imagine uma segunda situação, seu amigo virtual visita aquele restaurante caríssimo novo que abriu na cidade, muitas fotos, comidas bonitas. Desperta em você a vontade de ir também, mesmo que você não tenha o dinheiro na hora. Você vai, passa no crédito e descobre que o restaurante nem é tudo aquilo que você imaginava. E é assim que você tem um gasto a mais na fatura do cartão. 

Com o avanço das redes sociais, todos nós viramos, querendo ou não, influenciadores. Se por um lado isso é positivo, por outro, a exibição de gastos pode custar mais caro do que você pode pagar. 

De acordo com um estudo recente da Universidade da Califórnia, nos EUA, e da Universidade de Toronto, no Canadá, a tendência é que as pessoas passem a gastar mais quando veem os outros gastando, e ao mesmo tempo poupam menos. E claro, as redes sociais ajudam a aumentar essa percepção, já que nelas é possível ver tudo.

Especialistas chamam essa percepção equivocada de viés da visibilidade. Conforme nos relacionamos por meio da Internet, a tendência é publicarmos mais o consumo do que o não consumo. Além disso, esse tipo de relação faz com que tenhamos uma perspectiva deturpada da nossa própria situação financeira e ainda o que você vai ganhar no futuro.

Outro ponto de destaque é voltando à questão dos influenciadores, os especialistas do estudo consideram que as pessoas tendem a acatar dicas de outras pessoas na Internet porque consideram a situação socioeconômica semelhante. No mundo real não é bem assim. 

Por fim, o recomendado para resolver esse tipo de conflito é criar consciência. Mesmo com tantos estímulos externos para consumir, tenha em mente a sua situação social e econômica e se você pode ou precisar gastar. Por mais que o ambiente online pareça encantador, a vida real pode ser melhor, dentro das suas possibilidades. 

Tags: consumo redessociais

Veja mais