Aprenda mais sobre diabetes com essas cinco curiosidades

Condição afeta milhares de pessoas em todo o mundo e já é considerada uma epidemia mundial

O diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente (diabetes tipo 1) ou quando o corpo não consegue usar de maneira eficaz a insulina que produz (diabetes tipo 2). Responsável justamente por controlar a quantidade de glicose no sangue, a insulina é o hormônio que promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa ser utilizado como fonte de energia.

Estima-se que cerca de 422 milhões de adultos vivam com diabetes em todo mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, a doença evolui a uma velocidade preocupante. Segundo a organização, a doença quadriplicou desde 1980. Atualmente, mais de 16 milhões de brasileiros convivem com o problema, que mata 72 mil pessoas no país por ano.

Especialista no tratamento de pacientes com Diabetes e Pesquisador na área da Nutrição, o médico Patrick Rocha esclarece mitos sobre o tema e orienta pessoas a respeito do controle da doença na internet. “A desinformação é um dos maiores obstáculos no controle da doença que avança ano após ano em todo mundo. A recomendação de condutas dietéticas e adoção de uma alimentação pobre em nutrientes tem participação relevante no agravamento da doença”, explica.

Segundo Dr. Rocha, existem algumas informações importantes que a grande maioria das pessoas ainda desconhece, mas que precisam ser esclarecidas para que mudanças sejam adotadas o quanto antes. Confira:

1. A alimentação tem efeito poderoso no controle da diabetes
A educação alimentar transforma, previne e pode até tratar doenças sérias, como é o caso do diabetes e também da obesidade. Os hábitos alimentares podem ser um dos principais aliados na prevenção e controle da doença. Hipócrates já dizia há milhares de anos que precisamos fazer da nossa alimentação o nosso principal remédio. Os resultados observados comprovam que a alimentação previne e trata diabetes, reduzindo e, em muitos casos, até eliminando a necessidade de medicação.

2. Gorduras do bem são aliadas
A adoção de uma rotina alimentar inteligente é essencial na prevenção e no tratamento. O ideal é restringir o consumo dos derivados do trigo, refinados e integrais. Pode ser difícil em um primeiro momento e para tirá-lo da alimentação é preciso colocar outra coisa no lugar. E esse é um dos pontos mais importantes, trazer de volta à alimentação os alimentos ricos em gorduras naturais, como ovos, abacate, castanhas, manteiga, dentre outros. Alguns destes foram injustamente execrados na década de 70 e isso trouxe consequências graves para a saúde das pessoas, contribuindo para o que hoje é considerado uma epidemia de sobrepeso, obesidade e diabetes.

3. Epidemia Global
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2030, caso a situação não seja revertida, o diabetes seja a sétima maior causa de morte. A atual explosão de casos de diabetes obedece a todos os critérios epidemiológicos necessários para a caracterização de uma epidemia. Embora fatores genéticos estejam envolvidos em ambas as formas da doença, a incidência cada vez maior está fortemente relacionada ao excesso de peso, obesidade, sedentarismo, às dietas focadas essencialmente em industrializados e derivados do trigo.

4. Infelizmente, cada vez mais comum entre crianças
Diabetes tipo 2 já foi considerada uma doença de adulto, só que nos últimos anos tem aumentado a incidência entre as crianças também. O aumento da doença entre os pequenos cresce junto com os índices de obesidade infantil, que dispararam nas últimas décadas. Estima-se que aproximadamente 1/3 das crianças de 5 a 9 anos no Brasil está com excesso de peso. A região sudeste predomina, com 38,8% das crianças acima do peso, seguida pelas regiões sul (35,9%), centro oeste (35,1%), nordeste (28,1%) e norte (25,6%). Alimentação repleta de industrializados e pobre em nutrientes, além de estilo de vida mais sedentário, são apontados como principais responsáveis.

5. Diabetes tipo 2 é a mais comum
O diabetes tipo 2 é muito mais comum do que a do tipo 1, e é responsável por cerca de 90% dos casos em todo o mundo. Os sinais da doença não são sempre fáceis de detectar, podendo se desenvolver gradualmente. Estima-se que para cada diabético, três pessoas estejam na condição de pré-diabetes e não sabe, isto é, aproximadamente 40 milhões de brasileiros.

--

O médico Patrick Rocha (CRM-CE 8561) é palestrante, pesquisador e apaixonado por saúde e nutrição. Dr. Rocha é Presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas (INEODOC) e autor dos livros "Emagreça com o Dr Rocha" e do treinamento para diabéticos "Programa Diabetes Controlada".

Tags: diabetes Prevencao qualidade de vida saúde

Veja mais