Três histórias de aposentados que tomaram gosto pela aventura

Você vai se surpreender com essas histórias

Muita gente toma a velhice como um momento de recolhimento. Seria aquela fase da vida para incorporar hábitos pacatos, sem muita badalação. Embora essa seja o caminho preferencial para alguns, há quem fuja a este estilo de vida e opte por viver as aventuras mais variadas.

Neste artigo, vamos trazer 3 histórias das mais incomuns, vivenciadas por personagens com mais de 70 anos e que escolheram um meio de vida um tanto ousado em relação às pessoas de mesma faixa etária. Acompanhe!

Ruediger Nehberg, o vovô Indiana Jones

Imagine um roteiro de um filme que envolva cruzar um deserto inteiro a pé, atravessar um oceano e luta corporal com cobras peçonhentas. Imaginou? Isso mais se parece com algumas das cenas do filme Indiana Jones, não é mesmo?

Foto: Rüdiger Nehberg

Acontece que isso tudo aconteceu com o alemão Ruediger Nehberg, que nos anos 50 atravessou todo o deserto da Etiópia a pé, viagem essa que terminou somente no Marrocos, país onde ele aprendeu a arte de encantar cobras e acabou se envolvendo em luta corporal com alguns desses animais.

E se engana quem pensa que todas essas aventuras se restringiram a sua juventude. Para Nehberg, viajar por lugares inóspitos é uma filosofia de vida que ele conserva até hoje, aos 79 anos.

Atualmente, ele viaja há muitos dos lugares que serviram de cenário para suas aventuras desenvolvendo trabalho social. Na Amazônia e no continente africano ele e sua fundação mantém clínicas médicas para atendimento a populações em situação de vulnerabilidade.

Renilda Frey: iniciada na prática de rapel aos 80 anos

Aos 68 anos, Renilda Frey se viu viúva na cidade onde sempre viveu, Rio do Prado, interior do Rio Grande do Sul. Aposentada desde os 60 anos do trabalho do campo, Renilda não se fez abater pelo luto, nem pela idade avançada, resolvendo dar um novo significado a sua vida.

Foto: Arquivo Pessoal

Nessa fase, somou esforços com um grupo de aposentadas de sua região que semanalmente se encontram para a prática de exercícios regulares. Posteriormente, os encontros culminaram em excursões por diferentes partes do país.

As viagens foram um tanto facilitadas pela neta, que possui uma empresa de ecoturismo. E em um desses passeios, já aos 79 anos, Renilda foi convidada a iniciar a prática de rapel. Sem pestanejar, aceitou o convite e completou com êxito a descida acompanhada de um instrutor. Desde então, sempre que possível, ela vem praticando rapel, para surpresa de muitos jovens.

Metro Kopansky: o vovô que cruzou as américas

A grande maioria dos jovens sonha com viagens épicas, cruzando diferentes países e continentes. Nesse percurso, o grande objetivo é conhecer diferentes culturas, experienciar novos sabores, vislumbrar novas paisagens, enfim, tudo que uma grande viagem proporciona.

Pensando em todas essas possibilidades, o vovô canadense de 80 anos, Metro Kopansky, se lançou em uma aventura incrível: cruzar de moto as américas partindo de Toronto e tendo Foz do Iguaçu como destino final.

Foto: Arquivo Pessoal

Em princípio, sua mulher se assustou com tamanha ousadia e só autorizou a viagem desde que o filho de Metro também partisse junto a ele. A mulher do filho, por sua vez, também só deu o consentimento ao marido se o filho do casal, neto de Metro, também os acompanhasse.

Com as devidas autorizações das esposas, as três gerações da família partiram de moto para essa grande viagem, cheia de eventos inesperados. O primeiro grande contratempo se deu já na América Central, no Panamá, com uma retenção de mais de 24h para ultrapassar a fronteira.

Outro evento notável se deu já em Foz do Iguaçu, com um acidente sofrido pelo vovô Metro Kopansky, que caiu em um buraco de 2m de profundidade localizado em um posto de gasolina onde eles pernoitaram na ocasião. Por sorte, nada de grave aconteceu, mas foi muito difícil retirar a moto do local.

Salvo esses episódios, a viagem foi repleta de grandes aprendizados e lições por toda a família, que destacaram as paisagens deslumbrantes por onde passaram e a vida cotidiana dos povos latinos, marcada por desafios.

Tags: aposentadoria diversão qualidade de vida saúde

Veja mais