Os cinco maiores vilões do seu orçamento

Maior parte dos endividados não sabe explicar a origem do descontrole

Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revela que 61,4% das famílias brasileiras estão com as contas atrasadas. A maior parte das pessoas que fazem parte desta estatística não sabe explicar o que aconteceu e o que causou o descontrole. Esses consumidores também não conseguem encontrar no orçamento mensal um gasto exorbitante, que justifique a inadimplência.

Para evitar esse tipo de situação, o educador financeiro Reinaldo Domingos, autor de Livre-se das dívidas (Editora DSOP), aconselha: “Planeje seus gastos com cuidado  e procure saber exatamente onde coloca cada centavo de sua renda”. É o especialista quem aponta os cinco maiores vilões do orçamento doméstico. Aproveite para identificar se eles também estão contra você:

  1. Pequenos gastos: na maior parte dos casos, são as pequenas despesas, somadas, que fazem a diferença na hora de fechar a conta no fim do mês. É o dinheiro usado para comprar o pãozinho, para pagar o transporte aos finais de semana e aquela roupa ou sapato que pode não ser tão cara assim e, por isso, não vai pesar no bolso. Para evitar o descontrole, anote absolutamente tudo o que gasta. Assim, fica fácil descobrir onde está gastando mais dinheiro do que deve e corrigir os desvios de rota no seu orçamento.
     
  2. Cartões de crédito: com eles, o céu é o limite. Mas não se iluda, porque tudo vai ser cobrado na próxima fatura. Então, a orientação é não ter mais do que dois cartões, pagar as dívidas integralmente e em dia, para evitar gastos adicionais. Também vale resistir bravamente às ofertas “generosas” de aumento nos limites de crédito. “Ele deve ser sempre inferior à soma dos rendimentos da família”, avisa Reinaldo Domingos.
     
  3. Cheque especial: esse falso amigo vai acabar com o seu sono se você não souber usá-lo. O ideal é não contar com ele como parte de seus rendimentos. O uso do cheque especial é dívida, não é salário. Portanto, procure utilizá-lo apenas quando estritamente necessário.
     
  4. Celular: o uso descontrolado do aparelho pode fazer dele um dos maiores inimigos do bolso. E o cuidado precisa ser ainda maior quando o celular é uma ferramenta de trabalho. Para se proteger desse vilão, escolha um plano adequado ao seu perfil e, se necessário, mude conforme forem surgindo novas necessidades. Se você recebe mais chamadas do que faz, por exemplo, um celular pré-pago pode ser a melhor escolha no momento, já que o plano permite ter total controle dos seus gastos. 
     
  5. Compras a prazo (e a perder  de vista): as mensalidades da televisão nova, do computador e da última liquidação de inverno, isoladamente, não são tão altas. Porém, quando somadas, podem provocar um rombo e tanto no orçamento. Para evitar contratempos, é preferível economizar e comprar à vista sempre que possível, mesmo que isso signifique esperar alguns meses a mais até realizar o seu desejo.

Tags: crédito educação financeira orçamento planejamento

Veja mais